Belas Maldições
Belas Maldições
Autor: Neil Gaiman
Editora: Betrand Brasil
Segundo as 'Belas e Precisas Profecias' de Agnes Nutter, o mundo vai acabar num sábado. No próximo sábado, e ainda por cima antes do jantar. O que é um grande problema para os anjos Aziraphale, emissário do Céu, e seu colega Crowley, que na época de Adão ocupava o posto de Serpente do Paraíso. Eles precisam impedir o Apocalipse, porque a Terra é...

Belas Maldições

Dois jovens simpáticos resolvem questionar o "pai" na hora errada e são condenados a viver para sempre longe de casa, dos amigos, da "família". Um dia, descobrem que existe uma possibilidade concreta de burlar a condenação paterna e correm, travessos, para o portal. Sem imaginar que um inimigo "plantou" a idéia neles com a pior das intenções e que "parentes" estão empenhados em impedir a volta sonhada pelos melhores motivos do mundo. Imagine este conflito de pai e filho vivido entre Deus e Anjos. A destruição temida, o apocalipse. De quebra, ainda discute a discriminação à mulher e aos negros configurada dentro da Bíblia. É de causar muita polêmica. Tudo isso num formato de história em quadrinhos, humor corrosivo, personagens recorrentes, elenco idem, com um diretor jovem - 28 anos - acostumado a transformar em personagens de suas histórias bizarras pessoas comuns, enfrentando temas que arrepiam os conservadores. Como transam as lésbicas? ("Procura-se Amy") Como um homossexual masculino engana seus parceiros? O que um namorado avançadinho tolera no passado da namorada? ("O Balconista" / "Procura-se Amy") Dessa vez, questiona: uma católica em crise de fé pode trabalhar numa clínica de aborto? Um profeta pode ser fixado em sexo? Deus é engraçado? Está errado um anjo da morte fazer o que sabe? Matar? O resultado é que alguns setores do público odeiam, outros ficam ofendidos em seus sentimentos mais profundos e os que apreciam o humor de Kevin Smith rolam de rir.